Carreira, Empreendedorismo, Gestão

Como lidar com os seus sócios: guia dos sete acertos

Em um ambiente corporativo é necessário desenvolver um bom relacionamento com aqueles que compõem tal círculo. Esse relacionamento saudável estende-se também aos...

· 4 min leitura >
Como lidar com os seus sócios: guia dos sete acertos

Para quem está começando no mundo dos negócios e do empreendedorismo – e até mesmo para aqueles que já têm alguma experiência – aqui vai uma dica fundamental: mantenha uma boa relação com seus sócios e saiba como preservar a afinidade.

Os mais experientes podem estar pensando “mas eu já estou neste ramo há tempos, sei muito bem como lidar com meu sócio”. Porém, como o mercado é muito dinâmico, este que é seu parceiro hoje, amanhã pode migrar para outra empresa ou começar um novo negócio. Por isso, é importante para qualquer empreendedor saber como lidar com novos sócios.

É verdade que dentro do ambiente corporativo é importante lidar bem com os colaboradores mas, além disso, é preciso desenvolver uma boa relação com seus sócios, afinal eles compõem o núcleo da sua empresa e possivelmente você passará mais tempo com eles do que com sua família.

Aprender a lidar com eles irá tornar o ambiente melhor, evitará conflitos desnecessários e ajudará com que sejam aliados no gerenciamento do negócio.

O lado positivo é que existem algumas ações e ferramentas que podem ser auxiliadoras no processo de construção de uma relação saudável com seus sócios.

Veja sete dicas de como você pode manter esta relação:

1. Antes de tudo, saiba como escolher um sócio

Afinidade com a pessoa é importante, mas também devem ser levados em conta fatores como custo-benefício, histórico e currículo do candidato e a maneira como se dará o profissionalismo na relação. É essencial que o perfil da pessoa seja compatível com o da empresa.

Os conhecimentos, experiências e atribuições que o futuro sócio possui devem ser levadas em consideração pois podem contribuir para que os problemas surgidos na empresa sejam melhor solucionados e geridos.

Dessa forma os objetivos estarão alinhados e a chance de menos conflitos e mais sucessos será maior.

2. Estabeleça limites e políticas dentro do ambiente de trabalho

Isso evita situações desconfortáveis e que possam gerar algum desentendimento. É importante saber que a maneira que se deve comportar em um escritório não é igual ao jeito que se deve comportar em um bar, por exemplo.

É natural que cada sócio pense de uma forma e escolha determinado modo de agir mas ao estabelecer limites e políticas é como se houvesse um manual padronizado em que todos devem seguir, isso contribuirá para que opiniões estritamente pessoais não interfiram negativamente ou prejudiquem as relações profissionais.

Quando surgirem opiniões divergentes sobre como resolver ou lidar com um problema, as políticas existentes guiarão a forma em que se deve lidar o que levar em consideração.

3. Amizade facilita

amizade
Pessoas que se ajudam vão mais longe.

Manter uma relação de amizade fora da empresa não é obrigatório, mas ajuda na convivência dentro do trabalho. Se os sócios forem amigos, fica mais fácil discutir, planejar e concordar questões da empresa.

Ouvimos muito que colegas de trabalho não são amigos, porém, nada se impede de se desenvolver uma amizade verdadeira dentro do ambiente corporativo. Lembrando que uma amizade saudável e verdadeira não encobre erros mas contribui para o crescimento profissional e pessoal de cada um.

4. Trace objetivos em comum para a empresa

Nesses objetivos, os dois devem opinar e concordar. Se cada um tiver objetivos diferentes para a empresa, dificilmente o negócio dará certo.

Por isso é importante definir qual o objetivo do negócio, o que se pretende alcançar e traçar um planejamento para alcançar.  Com o alinhamento dessas metas será mais propício um empenho mútuo para alcançá-las.

5. Defina a função de cada um e respeite a hierarquia

gerência
Foto de uma pessoa pensando sobre respeitar a hierarquia. (piada)

O sócio que for chefe da empresa, por exemplo, deve ser tratado e respeitado como tal.

Todo negócio precisa de planejamento e liderança. Por isso, é importante que seja definido o papel que cada um ocupará na gestão da empresa.

Cada sócio possui uma capacidade diferente e uma forma de lidar melhor com determinadas situações do que outros, esse ponto pode ser levado em consideração na definição de atribuições e competências.

Por exemplo, um pode ficar com a parte comercial, outro com a parte fiscal e ainda outro com a parte mais técnica. Feita as definições é importante respeitar a hierarquia de cada um sobre elas. Entretanto, algumas decisões necessitam ser tomadas em conjunto, por isso é importante destacar e alinhar quais decisões devem ser em grupo e quais podem ser tomadas de forma individual.

Em relação as decisões que necessitarão serem feitas em conjunto, para que funcione de forma organizada, pode-se criar um conselho deliberativo com registro das informações e decisões que estão sendo tomadas. Super recomendo para empresas com mais de 30 colaboradores.

É importante ressaltar que nem todas as decisões cabem a necessidade de uma reunião. Algumas coisas podem ser resolvidas de forma simples, com uma simples troca de e-mail. Isso ajudará a tornar o negócio menos burocrático e fluir melhor.

6. Saiba ouvir e respeitar a opinião do seu parceiro

Mesmo que você discorde, a atitude é saudável para qualquer relação. Dessa maneira, ambos poderão debater o tema em questão e entrar em um possível acordo. Mesmo o chefe tem que saber ouvir os funcionários e levar em consideração opiniões divergentes.

Seus sócios são pessoas diferentes, com formação, estilo de vida, criação, e pensamentos diferentes dos seus e com isso é natural que existam divergências. O ponto em questão é saber ouvir e gerenciar de forma positiva essas divergências.

7. Nada como um bom bate-papo, de cabeça fria

Caso haja alguma briga mais forte entre os sócios, é essencial saber que qualquer discussão tem solução. Primeiro, espere que ambos estejam de cabeça fria, afinal, ninguém resolve nada enquanto estiver irritado. Depois, sentem juntos, conversem e vejam em que situação erraram. Coloquem a empresa à frente de brigas.

Caso não estejam obtendo sucesso na tentativa de resolução uma opção seria um mediador. Uma pessoa de fora que pode emitir uma opinião profissional sobre o assunto em questão.

Tal mediador pode ser tanto um empreendedor quanto um profissional que tenha uma empresa especializada em gestão de empresas.

Utilizar esse recurso pode contribuir para que o negócio não seja indevidamente direcionado para aumento dos conflitos e envolvimento de questões pessoais.

Não existe receita mágica para se dar bem com um novo sócio em uma nova empresa. Mas, ao seguir estes passos, a convivência se torna mais fácil e a chance do negócio prosperar aumenta.

E você, tem alguma dica de como lidar com sócios? Conte para a gente nos comentários!

Deixe seu comentário: