Empreendimentos no ramo da música: inovação sem limites!

  • Autor do post:
  • Última modificação do post:10 de setembro de 2020
  • Comentários do post:0 Comentário
  • Tempo de leitura:8 minutos de leitura

Em qualquer segmento a inovação deve estar presente, mas no ramo musical as possibilidades parecem mesmo ser infinitas. Se você está fazendo da música apenas um hobby, pode ser que esteja chegando a a hora de unir o útil ao agradável. Quem não gostaria de transformar a diversão em um negócio promissor e lucrativo?

Existem diversos ramos e oportunidades diretamente relacionados com o setor musical. No Brasil, destacam-se 14 oportunidades, dentro da classificação de atividades (CNAE) o ramo musical pode-se destrinchar e explorar fonografia, direitos autoriais e shows relacionados a trabalho.

A cada ano, essa atividades que eram feitas de formas tradicionais ganham uma nova perspectiva e com isso geram ascensão e muitas oportunidades para serem vivenciadas.

Aquela perspectiva engessada de que a música era apenas audição perdeu espaço para um leque muito mais amplo. É uma experiência que contempla uma versão multimídia, ou seja, que explora vários tipos e aspectos atrelados a música.

Um aspecto negativo encontrado no ramo musical diz respeito a informalidade que muitos negócios se encontram, é um desafio constante a ser superado. Existe uma quantidade pequena de negócios devidamente formalizados. Outra problemática enfrentada é ausência de investimentos e créditos voltados para a área, isso pode ser prejudicial para o seu desenvolvimento.

Ainda falando sobre esses desafios podemos citar ausência de qualificação dos empreendedores musicais, ausência de inovação e propensão a revés trabalhista e algumas relações e parcerias empresariais fragilizadas, sem uma presença forte e uma construção alinhada a longo prazo.

Ainda assim, é possível não deixar o sonho de lado e obter sucesso no mercado da música.

A inovação tem que estar em harmonia com o público que pode absorver a sua tecnologia, deixando de ser apenas uma questão de oportunidade de mercado ou de possibilidade de investimento, passando a ser também uma questão cultural.

Muita gente está descobrindo que a música é o caminho para investir com criatividade lançando produtos ou serviços inovadores.  Um exemplo é o professor, engenheiro, músico e cicloativista José Carlos Armelin, que nas horas vagas costuma atuar como “inventor”.

A persistência rendeu-lhe uma invenção inovadora tendo a música como base. Ele criou um pequeno gerador que, quando acoplado à bicicleta, tem a capacidade de fornecer energia para os amplificadores, instrumentos e caixas acústicas de uma banda composta por quatro músicos!

7_5-bicmusic

Outro exemplo é o de um grupo de desenvolvedores que criou o Artiphon Instrument 1, uma tecnologia que pode ser utilizada na criação de instrumentos musicais a partir do smartphone, que, no caso, é acoplado ao produto, dando a mesma satisfação de tocar seu instrumento musical preferido, seja guitarra, violino ou até mesmo reproduzir eletronicamente o som de uma bateria.

O Artiphon Instrument 1 tem formato de instrumentos tradicionais como uma guitarra, por exemplo. Veja (ou melhor, ouça!) a qualidade do som produzido no vídeo abaixo:

Já a Neurowear se apresenta como um dos grandes destaques no quesito inovação nesse segmento. A empresa desenvolveu um equipamento que tem a finalidade de captar as ondas cerebrais do usuário.

O grande barato dessa invenção é que, com essa informação, é possível fazer uma seleção musical de acordo com o humor da pessoa. Veja o exemplo de criatividade e inovação da Neurowear nesse outro vídeo:

No Japão pode haver grande público para fone em formato de coelhinho, mas será que aqui no Brasil alguém teria interesse ou coragem de sair com ele nas ruas?

Bem, para aqueles que não querem inventar tanto, ensinar música, mesmo sendo algo das antigas, em se tratando do ensino convencional, ainda é um bom negócio.

Uma empresa criou algo semelhante para aqueles que querem aprender apenas rock. É a rede de escolas de música norte-americana School of Rock, que já colocou o Brasil na sua rota. Ela inaugurou em agosto a segunda unidade brasileira em Moema, São Paulo.  Eles começaram com uma unidade em São Caetano do Sul, no grande ABC, no final do ano passado.

Bom, gostaria de saber algumas opções de como ganhar dinheiro sendo músico? Existe uma diversidade de opções e agora vamos dar algumas sugestões para vocês.

Seja um palestrante da música

Participe de palestras, conferências e aulas sobre o mundo da música. Fale sobre sua paixão a outros e ainda ganhe com isso.

Faça Parcerias de sucesso

Se você conhece outros músicos pode fazer parcerias com esses nomes já consolidados, isso melhorará e fortalecerá sua imagem positiva. Ou ainda se você possui muitos seguidores em uma rede social, você pode usar isso a seu favor.

Divulgar seus serviços e quem sabe conseguir boas parcerias e contratos, não tenha medo de explorar os meios disponíveis para seu benefício.

Escreva para uma produção musical

Você já iniciou no mercado musical e tem propriedade para falar sobre o assunto? Poderia criar uma página, um blog e falar sobre sua experiência com a música aos seus leitores.

Mesmo que você ainda não seja um nome consolidado não tem problema, seu nome pode ir gerando propriedade aos poucos, à medida que você expõe conteúdos relevantes à sua audiência. Quanto mais informações bacanas e conteúdos ricos você levar mais autoridade você terá para falar.

Você pode começar a obter serviços através disso, ainda que serviços pequenos. No decorrer do período a situação pode ir avançando.

Seja um afiliado de guias musicais

Falei a pouco sobre ter uma página para falar sobre música e gerar serviços e ganhos com isso, certo? Pois bem, isso pode ser ainda mais explorado por disponibilizar seu site para mídias de outras atividades musicais. Pode vender um espaço voltado a publicidade para guias musicais.

Tenha um relacionamento com outras bandas

Se ainda está iniciando esse é um aspecto de extrema importância. Construir esse relacionamento será benéfico para o desenvolvimento do eu negócio como também para fazer trabalhos conjuntamente.


Você é músico ou um apreciador e quer unir o prazer com os negócios, criando seu próprio produto ou serviço? O mundo continua abrindo espaço para quem quer inovar! Aproveite e compartilhe sua ideia aqui nos comentários.

Rafael Carvalho

Rafael Carvalho é empreendedor digital há mais de 20 anos e desenvolveu dezenas de negócios na internet. É criador de diversos treinamentos online, com destaque para o método Lançamento Enxuto e a Mentoria Imparáveis, que são considerados os melhores treinamentos para quem deseja possuir um negócio lucrativo, honesto e saudável na internet.

Deixe seu comentário: