Empreendedorismo, Gestão

Pró-labore: o que é, porque sua empresa precisa e como definir

Quer saber o que é, qual a importância e como você pode definir o seu pró-labore? Vem que eu te explico tudo...

· 4 min leitura >
pró-labore

Você provavelmente já deve ter se deparado com este termo. Mas você realmente sabe o que é o pró-labore, qual a sua importância e impacto para o negócio e como ele deve ser definido?

Saber disso é fundamental para garantir a saúde e sustentabilidade financeira da empresa, e eu vou te explicar tudo através deste artigo.

Vamos lá!

O que é o pró-labore?

Sabe o salário que você precisa pagar todos os meses aos colaboradores da sua empresa? O pró-labore (que, literalmente, significa “pelo trabalho”) funciona da mesma forma, mas ele é o salário que você, como empreendedor ou sócio do negócio, tem direito.

Isso porque, tecnicamente, você também realiza a prestação de serviços para a empresa, e como maneira de ser remunerado por este trabalho, é preciso estabelecer uma forma de pagamento.

Dessa forma, se na sua empresa existe mais de um sócio, mas apenas você trabalha diretamente e contribui para o crescimento do negócio, então apenas você deve ser remunerado através do pró-labore.

Além disso, este formato não é obrigatório, mas deve ser estabelecido quando o sócio trabalha para a empresa. Assim, para o INSS, o valor será computado no cálculo de aposentadoria do empreendedor e não deve ser menor do que o salário mínimo vigente.

Por que a sua empresa precisa que você defina o pró-labore?

O maior interessado na definição do pró-labore não é você ou o seu sócio, mas a sua própria empresa.

Isso ocorre porque, na grande maioria dos negócios, o dono acredita que o lucro do negócio corresponde a quantia que ele tem direito de retirar do caixa da empresa todos os meses.

E esse é um dos piores erros que um empreendedor pode cometer!

Se você quer desenvolver um negócio sustentável e com alto potencial de crescimento, é preciso estabelecer algumas regras, inclusive para a sua atuação como empresário.

Dessa forma, é preciso que você entenda que, se você participa do trabalho, você deve ser considerado um custo. E como todos, um valor fixo e justo deve ser determinado.

Assim, quando você define um pró-labore, é possível:

  • Manter o controle financeiro do negócio;
  • Realizar uma previsão orçamentária com mais assertividade;
  • Tornar a gestão ainda mais profissional;
  • Saber a melhor forma de cobrar pelos produtos e serviços da empresa.

Para deixar ainda mais claro, vamos utilizar um exemplo.

Imagine que você possui uma agência de marketing digital, e, dentre os trabalhos a serem executados, está a criação de uma campanha de lançamento de um residencial.

Além disso, você trabalha diretamente na produção e revisão das peças para o cliente.

Quando você não define o valor do seu trabalho, o cálculo para o projeto ficaria mais ou menos dessa forma:

  • Designer: R$ 1600,00;
  • Redator: R$ 1600,00;
  • Analista: R$ 1700,00;
  • Você: R$ 0,00.

Considerando o trabalho que você tem em garantir que tudo saia conforme a necessidade do cliente, a sua remuneração estaria sendo justa e compatível com seus esforços? Não.

Do mesmo modo, não é justo que você retire qualquer valor para satisfazer o seu ego.

Negócio que quer crescer precisa de organização, e isso começa pelo financeiro.

Como definir um pró-labore

Definir o pró-labore é um dos grandes desafios dos empreendedores, e isso está relacionado a falta de educação e gestão financeira que normalmente encontramos no mercado de trabalho.

Mas existem algumas formas de definir o pró-labore do sócio de forma justa e atendendo às necessidades tanto do empreendedor quanto da própria empresa.

No entanto, é preciso entender que as duas formas apresentadas devem levar em consideração alguns aspectos fundamentais para a definição do valor, como:

  • Nível de maturidade do negócio;
  • Lucratividade da empresa;
  • Garantia da sustentabilidade financeira;
  • Separação de gastos pessoais e empresariais.

Por isso, independentemente do valor definido, estas variáveis precisam ser estudadas para que a saúde financeira do negócio não seja impactada.

A partir da atividade desempenhada

Neste formato, o empresário será avaliado como um colaborador da empresa, e a sua remuneração será diretamente proporcional ao trabalho que este desempenha no empreendimento.

Para isso, você vai precisar seguir alguns passos que irão facilitar um melhor estudo da função. Veja a seguir.

Descreva as atividades

Defina tudo aquilo que você como empreendedor desempenha no negócio, descrevendo todas as atividades, funções e responsabilidades realizadas. 

Neste passo, o ideal é desenvolver uma descrição de cargo. Assim, além de formalizar o processo, é possível verificar como as suas atividades impactam nos demais setores da empresa.

Realize uma pesquisa de mercado

Após definir qual o seu papel desempenhado no negócio, vai ser preciso realizar uma pesquisa de mercado para avaliar como outros cargos, que desempenham uma função semelhante a sua, estão sendo remunerados.

Para isso, você pode utilizar diversas estratégias:

  • Pesquisas no Google;
  • Contato com colegas e parceiros de trabalho do mesmo ramo;
  • Contratação de uma empresa especializada em pesquisa salarial.

Lembre-se: os valores encontrados devem fazer sentido para a realidade e o ramo do seu negócio. Por isso, não adianta realizar a comparação de salários utilizando empresas e mercados que não se encaixam na sua atividade.

Inclua os custos com impostos

Como expliquei acima, o pró-labore é considerado para o cálculo de aposentadoria do empresário. Assim, é comum que exista a cobrança de alguns impostos no valor estipulado pela empresa.

Dessa forma, como isso também é um custo que vai sair do “bolso” do negócio, você vai precisar calcular previamente quais são esses impostos para não existir nenhuma surpresa indesejada para o seu financeiro.

Aqui, o ideal é que você possa contar com o auxílio de um contador que te ofereça a orientação necessária, evitando que erros venham a acontecer.

Por meio da análise financeira pessoal

Uma outra forma de definir o pró-labore, e a mais utilizada pelos empreendedores, é através da análise financeira pessoal.

Aqui, você vai precisar descobrir qual o seu custo mínimo de vida e definir o valor do pró-labore de acordo com a sua necessidade. 

Para isso, você vai precisar já possuir um acompanhamento das suas finanças e apresentar um fluxo de caixa que demonstre tanto os seus custos efetuados quanto uma projeção para os próximos meses.

No entanto, você não deve deixar de considerar no cálculo as variáveis mencionadas acima e os custos com impostos.

Como você percebeu, o pró-labore é um dos primeiros passos que levam a empresa a um outro patamar de maturidade, além de influenciar na sua atuação como empreendedor. Por isso, ele deve ser percebido como uma necessidade a ser definida por todo negócio.

E se você quiser saber mais sobre finanças empresariais, confira o meu artigo: 7 indicadores financeiros para negócios digitais.

Deixe seu comentário: