Empreendedorismo, Gestão

7 indicadores financeiros para negócios digitais

Quer descobrir quais os melhores indicadores financeiros para implantar no seu negócio digital? Confira o conteúdo deste artigo!

· 6 min leitura >
indicadores financeiros negócios digitais

Os indicadores financeiros são o ponto de partida para analisar o estado da saúde financeira de qualquer negócio digital. 

No entanto, com a infinidade de indicadores e métricas disponíveis para serem utilizados, nem sempre os empreendedores sabem por onde começar e quais os principais indicadores a serem analisados.

Neste artigo eu separei os 7 principais indicadores que vão te ajudar a mensurar o real estado do seu negócio! Continue a leitura.

O que são indicadores financeiros?

Sempre que falamos sobre indicadores, métricas e objetivos, eu lembro de uma frase que resume bem o sentido de cada um desses elementos: “O que não é medido, não é gerenciado.”

Os indicadores financeiros são os responsáveis por nos dizer, de forma quantitativa, qual tem sido o desempenho financeiro de um negócio, possibilitando também elaborar uma previsão de como serão os resultados futuros e o que será preciso fazer para que algumas dificuldades e turbulências sejam evitadas.

Por demandarem tempo, conhecimento e responsabilidade para que sejam implantados e acompanhados da melhor forma, são poucos os empreendedores que assumem o desafio de olhar com criticidade para os números da empresa, e muitas vezes acabam focando somente no quanto se tem a receber e o que será preciso pagar num determinado mês.

Assim, através do recolhimento análise dos dados financeiros, fica muito mais claro qual o melhor caminho a ser seguido pela empresa e quais foram os erros cometidos até agora.

Além disso, a utilização dos indicadores financeiros permite que possamos responder às inúmeras perguntas que giram na cabeça de qualquer empreendedor:

  • Será que eu estou precificando corretamente?
  • Existem muitas despesas para um valor inferior de receitas?
  • É possível realizar a compra de um novo sistema?
  • Agora é a hora de realizarmos novas contratações para a equipe?
  • Quais são os nossos principais custos? E como podemos reduzi-los?

Normalmente essas questões são respondidas com “achismos” e suposições sem fundamento. Mas quando utilizamos métricas e índices para analisar cada uma delas, conseguimos tomar decisões com muito mais assertividade.

Qual o primeiro passo para definir os indicadores financeiros do meu negócio?

Agora que você já sabe porque precisa realizar o acompanhamento dos indicadores financeiros do negócio, o próximo passo é definir quais indicadores irá utilizar.

O erro de muitos empreendedores nesse momento é pensar que quanto mais indicadores ele utilizar, mais informações e poder de tomada de decisão ele vai ter. Mas aqui vai uma dica: quantidade não significa qualidade.

Não adianta querer definir 10, 15 ou até mesmo 20 índices para começar. Primeiramente é preciso definir o que você precisa saber sobre o seu negócio nesse momento.

Assim, o ideal é começar com uma quantidade mínima de índices a serem mensurados, sendo 3 a 5 indicadores um bom começo para a implantação de uma gestão financeira mais eficiente.

Para isso, existem algumas perguntas que você pode responder e definir o que será preciso saber antes de escolher os indicadores para o seu negócio: 

  • Para que serve este indicador?
  • O que ele vai me informar?
  • Quais os dados necessários para que ele seja mensurado?
  • Qual o tipo de decisão eu poderei tomar a partir dele?
  • Como ele está alinhado aos objetivos do negócio?

Agora que você já sabe por onde começar, vamos conhecer os principais indicadores financeiros para qualquer negócio digital.

7 principais indicadores financeiros para negócios digitais

Custos fixos e variáveis

Sabe o “feijão com arroz” da gestão financeira? Isso representa os custos fixos e variáveis do negócio. Um dos conceitos mais simples, mas que nem sempre são acompanhados pelos empreendedores.

Os custos fixos são aqueles que não variam conforme a atividade da empresa

Mas o que isso significa?

Se você vender mais ou produzir mais, o seu valor não será alterado. Da mesma forma, caso a sua empresa venda ou produza menos, eles não serão alterados.

Os exemplos mais comuns de custos fixos são:

  • Aluguel;
  • Manutenção de equipamentos;
  • Internet.

Já os custos variáveis sofrem oscilações de acordo com a produtividade da empresa, e os seus valores mudam caso o negócio venda mais ou menos.

Alguns exemplos de custos variáveis são:

  • Energia;
  • Água;
  • Comissões de vendas;
  • Logística.

São dois conceitos simples, mas existe uma sacada para que você possa mensurá-los da melhor forma: lembre-se que esses custos estão relacionados com a atividade da sua empresa. 

Então o que pode ser um custo fixo para um determinado tipo de negócio, para você pode ser um custo variável. 

É por isso que antes de pegar aquela listinha básica da internet e definir o que é fixo e variável, você precisa lembrar que todos eles devem ser relacionados ao seu tipo de atividade.

Lucratividade

A venda de um produto ou serviço não representa o lucro obtido para o negócio, pois parte do valor é destinado ao pagamento dos recursos operacionais envolvidos em sua produção, além de impostos e demais deduções. 

E por isso é preciso analisar o percentual de lucratividade recebido.

A lucratividade está relacionada ao valor efetivo que o negócio recebeu após uma venda ser realizada, sendo uma medida que reflete a eficiência operacional do negócio.

Assim, ela pode ser calculada pela fórmula:

Lucratividade = ( Lucro líquido / Receita Líquida ) * 100

Dessa forma, quando maior a lucratividade, maior a eficiência operacional da empresa.

Faturamento

O faturamento de uma empresa é um dos indicadores mais verificados pelos empreendedores, isso porque ele representa a soma dos totais de vendas da empresa em um determinado período.

Existem duas formas de analisar o faturamento do seu negócio: faturamento bruto e o faturamento líquido.

O faturamento bruto está relacionado ao valor geral das vendas, sem considerar as deduções devidas, calculado pela fórmula abaixo:

Faturamento bruto = Preço da venda do produto/serviço x Número de vendas

Já o faturamento líquido se refere ao valor das vendas descontadas as deduções e impostos aplicáveis, com a fórmula abaixo:

Faturamento líquido = Faturamento bruto – Deduções de vendas – Impostos

Esse é um indicador essencial a ser analisado, mas lembre-se que o seu faturamento não representa o sucesso ou fracasso do seu negócio. Ele é um indicador que não deve ser analisado de maneira isolada, servindo como uma base para a construção de informações com maior assertividade.

Rentabilidade

Diferentemente da lucratividade, a rentabilidade analisa os ganhos do negócio a partir da relação entre lucro líquido e investimentos realizados.

Assim, esse percentual se relaciona com o retorno do investimento inicial feito na empresa, sendo calculado pela fórmula:

Rentabilidade = ( Lucro líquido / Investimento ) * 100

Além disso, o cálculo da rentabilidade também serve para avaliar a viabilidade de um investimento para a empresa.

Então, sempre que pensar em realizar um novo investimento, esse é o primeiro indicador que você deve calcular.

EBITDA

Você já deve ter ouvido falar da famosa EBITDA, que se refere aos lucros do negócio antes do pagamento de juros, impostos, depreciações e amortizações.

Esse indicador está relacionado ao quanto uma empresa possui potencial de lucro e tende a gerar recursos a partir da desconsideração dos descontos financeiros e demais impostos a serem pagos.

Além disso, ele é essencial para que investidores possam medir o potencial de resultados do negócio e analisar a viabilidade do investimento, servindo para mostrar se a atividade principal da empresa é capaz de gerar os resultados necessários para manter o negócio ativo.

Assim, para calcular o EBITDA do seu negócio, você poderá utilizar a fórmula abaixo:

EBITDA= Lucro operacional + Depreciação + Amortização

Margem de contribuição

A margem de contribuição é um dos indicadores financeiros mais esquecidos pelos empreendedores, sendo a quantia de vendas que sobra após a retirada dos custos e despesas variáveis, com a fórmula:

Margem de contribuição = Receita de vendas – (Custos variáveis + Despesas variáveis)

Por meio desse indicador é possível saber se a receita da empresa está sendo suficiente para cobrir os custos e despesas variáveis do negócio, e assim ter a capacidade de gerar lucro.

É importante lembrar que a margem de contribuição é calculada através da análise de cada produto ou serviço. Assim, ela é um dos indicadores base para a formulação do preço de venda.

Quando você não conhece a sua margem de contribuição, é possível que a sua empresa esteja vendendo muito bem, mas mesmo assim continua tendo prejuízos

Ponto de equilíbrio

A maioria dos negócios não inicia gerando lucros, e para que você possa avaliar em que momento a sua empresa começará a ser lucrativa, a avaliação do ponto de equilíbrio é fundamental.

Como o próprio nome já diz, esse indicador está relacionado ao equilíbrio entre as despesas e receitas de uma empresa. Dessa forma, ele indica o momento em que os valores de receitas do negócio estarão equiparados à soma dos custos e despesas, indicando um lucro líquido igual a zero.

Esse indicador é importante pois reflete o ponto em que uma empresa começa a gerar lucros, tendo a capacidade de pagar as suas despesas sem que haja prejuízo.

Para calcular esse indicador, você pode utilizar a fórmula:

Ponto de equilíbrio = Custos e despesas fixas / Margem de contribuição

Após conhecer os principais índices financeiros, é importante ressaltar que nenhum deles deve ser tomado como base para decisões de maneira isolada. 

Cada índice financeiro irá demonstrar um dado específico que precisa ser analisado em comparação com outras informações, e somente assim a toma de decisão será mais segura.

Um dos principais benefícios do uso de indicadores financeiros é a possibilidade da elaboração de metas e estratégias de curto, médio e longo prazo para o negócio. Então dá uma olhada no conteúdo que eu preparei sobre planejamento estratégico aqui no blog!

Deixe seu comentário: