Empreendedorismo

5 regras de negócio que você deve quebrar e uma que precisa seguir

Ao pensar em abrir um negócio é comum ouvirmos uma lista de estratégias a serem traçadas como obter um MBA, desenvolver um...

· 3 min leitura >

Quando somos novos no mundo empresarial nós buscamos referência naquilo que já sabemos ou ouvimos falar.

Empreendedores que estão começando suas startups gostam de se basear em livros sobre o tema.

Os manuais tradicionais de grandes negócios sempre nos apontam mil e uma regras para serem seguidas se você quiser tirar sua empresa do papel e transformá-la em um modelo de sucesso.

Porém, nem todas devem ser levadas tão ao pé da letra. Muitas delas podem sim ser quebradas e seu negócio prosperar ao mesmo tempo, já que cada produto é um produto e a forma como a empresa faz suas regras, também.

No mundo dos negócios sair do senso comum é sempre necessário e bem-vindo. Por isso veja cinco exemplos dessas normas que podem não ser levadas tão a sério por você e saiba como não aplicá-las:

1. Começar um negócio com amigos e família

O ditado “amigos, amigos, negócios à parte” é levado a ferro e fogo por muitos. E também estendido aos familiares.

Não raras as vezes ouvimos falar do quanto é prejudicial para um negócio dividir sociedade com o pai, o tio ou amigo. Entretanto conhecer intimamente seu parceiro de negócio, principalmente se você está no começando uma startup, pode trazer muito mais vantagens do que prejuízos.

A principal delas é o interesse em comum. Há uma maior auto exigência, auto sacrifício, um esforço maior em prol de um objetivo comum. Entre amigos e familiares há uma facilidade na transmissão da informação. Além de as decisões serem mais flexíveis.

2. Obter um MBA

Para muitas pessoas, a faculdade é uma das experiências mais memoráveis ​​de suas vidas. A faculdade é um momento para encontrar a si mesmo, ganhar independência, descobrir uma especialização e se preparar para uma carreira significativa. 

Estágios, trabalho de campo e serviço comunitário proporcionam habilidades básicas e técnicas. Muitos alunos têm a oportunidade de trabalhar com professores em projetos de pesquisa inovadores. 

De fato, Conhecimento na área é sempre essencial, porém não é totalmente necessário. Você não precisa ter uma graduação avançada em negócios para ter êxito. Confiar em seus instintos muitas vezes vale mais do que anos de MBA.

3. Não comece um negócio sem um bom plano de negócios

Ficar preso a um plano de negócios pode ser um erro dependendo do seu tipo de negócio. Ficar comprometido demais com a cópia impressa de um plano de negócios sufoca a flexibilidade do empreendedor, o que torna difícil se adaptar e aproveitar novas oportunidades.

Claro, que sem um mapa, você pode desperdiçar tempo e recursos importantes da sua empresa. Mas passar semanas discutindo e escrevendo um plano abrangente que poucos seguirão não é produtivo.

4. Nunca trabalhe de graça

Quando abrimos um negócio queremos logo que ele seja um sucesso e nos dê muito lucro. São ideias que as pessoas tiram do papel e começam a desenvolver depois que testam e verificam que pode dar certo.  Porém, estabelecer parcerias pode ser uma boa alternativa, ainda mais no mercado de startups.

Além disso, o trabalhar de graça ou de forma voluntária pode trazer inúmeros benefícios para seu negócio. Te ajudará a desenvolver habilidades importantes que poderão ser aplicadas na sua empresa.

Muitas vezes as pessoas não têm experiência direta no campo que desejam ou as conexões para necessárias para alavancar seus negócios. O voluntariado pode ajudá-lo a desenvolver habilidades e conexões. 

Veja como a experiência do voluntariado pode ajudar:

  • Conheça novas pessoas – sinta-se confortável trabalhando com muitos tipos de pessoas, incluindo pessoas que você acabou de conhecer. Observe como os outros navegam no ambiente de trabalho sem fins lucrativos e desenvolva sua autoconfiança.
  • Desenvolva relacionamentos profissionais – Desenvolva novas redes, ouça sobre o mercado, oportunidades de treinamento e eventos de networking. Aumente sua visibilidade entre os líderes comunitários influentes.
  • Aprimore as habilidades existentes – retenha e aprimore as habilidades existentes, como planejamento e orçamento. Mas você também pode desenvolver “habilidades pessoais”, como liderança de equipe, definição de metas, resolução de problemas e adaptabilidade.
  • Desenvolva novas habilidades – Aprenda novas habilidades e experimente coisas novas em um ambiente relativamente livre de riscos. Você pode explorar campos inteiramente novos, possivelmente descobrindo habilidades e interesses que antes desconhecia. 
  • Aumente o desempenho – O voluntariado estimula a circulação de oxitocina, um dos produtos neuroquímicos “do bem-estar”. Sua maior sensação de bem-estar e redução do estresse irão ajudá-lo a aprender melhor, melhorar seu foco e liberar sua criatividade.
  • Construa o currículo – Os headhunters há muito incentivam os clientes a incluir trabalho voluntário em seus currículos. Mostra que você tem iniciativa, está disposto a aprender coisas novas e pode organizar tempo para se enquadrar no voluntariado.

5. Criar um negócio que já deu certo com outros

Não é raro observar empreendedores que querem abrir um negócio, não possuem uma ideia de produto, e acabam pensando em algum produto que já faça sucesso.

Copiam as mesmas estratégias, os conteúdos são semelhantes e acabam por produzir um trabalho praticamente igual. Mas será que é isso que o consumidor quer?

Produzir mais do mesmo não é vantagem para ninguém. Concorrer com um produto é válido, desde que sua estratégia seja original. Fazer algo inovador e de qualidade é sempre certeza de sucesso.

Uma regra inquebrável: lidere escutando

Escutar seus clientes, funcionários, sócios, sempre. Obtenha feedbacks regularmente. Esperar demais para fornecer ou receber retorno agrava as situações que precisam ser corrigidas e enfraquece o melhor momento para comemorar vitórias obtidas.

E você, tem regras que prefere quebrar e outras que segue sempre? Compartilhe nos comentários!

Deixe seu comentário: