Empreendedorismo, Startups

Os 5 princípios do Lean Startup

Os princípios de Lean Startup ou Startup enxuta quando aplicados levam ao processo de captação de recursos para aumentar as chances de...

· 3 min leitura >

Startup enxuta é uma prática para o desenvolvimento de produtos e negócios. O objetivo principal é reduzir os ciclos de desenvolvimento de produtos iniciais , implementando uma combinação de aprendizado validado, lançamentos iterativos de produtos e experimentação baseada em hipóteses de negócios.

Eric Ries é um empresário e blogueiro americano. Ele também escreveu um livro sobre o movimento de startups chamado “The Lean Startup”. Segundo ele, existem 5 princípios que você pode aplicar ao processo de captação de recursos para aumentar as chances de sucesso.

Vamos dar uma olhada nos 5 princípios do Lean Startup.

1 – Empreendedores estão em toda parte

Inicialização, Negócios, Pessoas, Estudantes

Você não precisa trabalhar numa garagem para ser um empreendedor de uma startup, como também não precisa estar com seus 20 anos de idade e nem ser um super nerd. O conceito de empreendedorismo em Lean Startup está relacionado com a criação de novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza.

Sem restringir por tamanho da empresa, setor da economia e muito menos características físicas e de comportamento. Logo, empreendedores estão em toda parte.

A visão estereotipada de um empreendedor varia entre o estudante universitário brilhante e o cientista motivado, mas, na realidade, os empreendedores estão em toda parte e vêm de todas as esferas da vida. Por definição, um empresário é uma pessoa que organiza e opera um negócio, às vezes – mas nem sempre – assumindo altos níveis de risco para fazê-lo. Os empreendedores não estão restritos a startups de tecnologia ou biotecnologia de ponta .

A importância deste ponto não pode ser negligenciada, embora pareça simples. Oportunidades para startups são abundantes em todos os setores e em todas as regiões. Quando você está procurando financiar uma startup, não precisa ficar confinado a uma gama restrita de oportunidades. Encontre um setor que o intriga e concentre sua atenção nas startups desse setor.

2 – Empreendedorismo é administração

Inicialização, Start-Up, Pessoas, Vale Do Silício

Uma startup não é apenas um produto, ela é uma instituição que deve ser gerida. Contudo, vive num contexto de extrema incerteza onde as ferramentas tradicionais de gestão não funcionam. Logo, é necessário um novo tipo de gestão focado no contexto de extrema incerteza.

Voltando à definição de empreendedor, vemos que um conceito central é operar um negócio. A definição não inclui ideias brilhantes ou hábitos de consumo extravagantes ou mesmo um certo grau de frieza. É uma questão de gestão, o que significa aproveitar os recursos disponíveis para cumprir as metas ou, pelo menos, fornecer o melhor resultado possível em determinadas circunstâncias.

Gestão é disciplina e criação de processos que ajudem a organização a atingir seus objetivos.

Para fazer uma startup ter sucesso, o empreendedor precisa impor processos e disciplinas à organização. Gerenciamento significa tomar boas decisões com mais rapidez, mesmo quando baseado em informações limitadas; trata-se de obter o melhor de uma equipe. 

Às vezes, um gerente é um treinador e às vezes um gerente é um ditador ou um amigo – ou um opositor. Um gerente gerencia e faz as coisas acontecerem. 

Esta é uma visão fundamentalmente diferente dos empresários, que muitas vezes exibem tendências e partem em caras viagens do ego, deixando a realidade para trás. Investir em uma startup enxuta significa que seu dinheiro não será desperdiçado em alguns dos excessos e erros cometidos por empresários como líderes que fracassaram.

3 – Aprendizagem validada

Startups precisam aprender como construir um negócio sustentável. Contudo essa aprendizagem não deve ser aleatória, ele deve ser validada cientificamente com a execução de experimentos onde o empreendedor pode testar cada elemento do seu modelo de negócios.

O ideal é que as startups façam testes para testar partes de seus produtos, a fim de apontar cientificamente o que funciona e o que não funciona. Desde que seja um número comparativamente menor de investidores que você terá como alvo, é difícil realizar experimentos no sentido adequado. 

Dito isso, é importante para os proprietários de empresas compreender os vários processos ligados a isso, testar versões diferentes e apontar o que está funcionando melhor. Uma mentalidade de aprendizagem é muito importante.

4 – Construir – Medir – Aprender

As principais atividades de uma startup são: transformar ideias em produtos, medir como os consumidores reagem e aprender se é o caso de mudar ou perseverar. Todos os esforços de uma startup bem sucedida devem ser voltados para acelerar esse loop.

O seu potencial investidor é o seu mercado, enquanto o seu argumento de venda principal é o seu produto. A maioria do empresário considera o procedimento de arrecadação de fundos um conjunto progressivo de etapas. 

Se você realmente seguir a mentalidade iterativa, seu deck MVP deve parecer melhor após cada apresentação. 

Criar um processo de inovação é a chave para o conceito de MVP e toda a ideia de startup enxuta. Envolve o ciclo de aprendizado do produto: Construir – Medir – Aprender. O processo começa com os primeiros protótipos que são mostrados e testados com vários clientes. 

Os clientes fornecem seus comentários sobre o que eles gostaram, não gostaram ou o que eles precisam adicionar antes de estarem dispostos a comprar o produto. A inicialização mede os recursos atuais do produto para aceitabilidade para seu mercado-alvo. 

A equipe de desenvolvimento pega esse aprendizado, adiciona recursos que atendem à necessidade identificada e repete o processo até que surja um design que atenda à necessidade sem adicionar custos desnecessários, ciclos de desenvolvimento estendidos ou recursos indesejados.

5 – Contabilidade para inovação

Para melhorar os resultados e atribuir responsabilidade aos empreendedores, a startup precisa atentar para algumas coisas menos interessantes, tais como medir o progresso, definir marcos, e priorizar o trabalho. Para isso é necessário um novo tipo de contabilidade pensada para startups.

Você ja conhecia os 5 princípios? Alguma dúvida ou sugestão? Deixe seu comentário e contribua com a discussão!

Referência:

  • The Lean Startup, Eric Ries – 2011.

Deixe seu comentário: