Carreira, Empreendedorismo

10 lições que você não aprende na universidade, mas que o empreendedorismo ensina

É verdade que a graduação contém seus grandes desafios, porém a verdade é que eles não chegam nem perto do que é...

· 3 min leitura >
0 lições que você não aprende na universidade, mas que o empreendedorismo ensina

A faculdade é um passo em direção à vida adulta para muita gente. Mas a transição de graduado a empresário pode ser um pouco chocante para um recém-formado.

É verdade que a graduação contém seus desafios e requer esforço e disciplina além de aflorar algumas habilidades que possuímos, mas a realidade do mundo corporativo é um pouco mais puxada e desafiadora. Na verdade, não há cadeira em qualquer faculdade que possa preparar para a maturidade que uma empresa exige.

Sabendo disso, separei neste artigo algumas mudanças que você pode esperar quando pensa em começar seu próprio negócio.

1. A participação é obrigatória

Na faculdade, você matou aula, saiu mais cedo e, ainda assim, conseguiu passar na matéria? Isso não vai se repetir no mundo dos negócios. Chova ou faça sol, você, jovem, precisa marcar presença e ser pontual.

Disciplina não só vai mantê-lo no circuito das atividades do dia a dia da empresa, mas também vai dar um bom exemplo para seus colaboradores.

Você verá que as questões e problemas que surgirem no seu dia-a-dia necessitarão se sua constante presença e colaboração para resolução. Além disso, é necessário estimular essa participação mútua. Se você irá gerir, por exemplo, um negócio com outras pessoas necessitará coordená-las e organizá-las para seu negócio ter sucesso.

2. Sua agenda não é escrita em pedra

organização

Suas manhãs de sexta no laboratório de biologia um dia chegam ao fim (que alívio!). Mas antes de começar a agradecer o fato de não precisar mais rolar para fora da cama depois de uma noitada para encarar dissecações de sapos, não fique tão animado assim.

Vida adulta e empreendedorismo significam estar em dívida constante com o cronograma – não mais com a chamada. Você é o prenúncio do seu próprio sucesso (o que significa muitas vezes abrir mão do lazer no sábado em nome do trabalho).

3. Tempo livre é para fracos

Não existe almoço grátis… E você vai sentir falta do restaurante universitário às vezes, aliás. O mesmo serve para o tal “tempo livre”. Se durante a faculdade você se acostumou a grandes intervalos entre as aulas, feriados prolongados e férias, o mundo de startups vai parecer um planeta alienígena.

A maioria dos seus amigos estará trabalhando das nove às seis, frequentando happy hour, planejando saídas para o fim de semana… Enquanto você vai estar alucinado com validações e apagando incêndios em sua empresa. E isso é apenas a realidade de ser um empreendedor: você sacrifica o tempo livre em troca da liberdade.

4. Contabilidade para iniciantes não será suficiente

As informações que você recebeu nas aulas de cálculo e de contabilidade pareciam mais que suficientes, né? Até demais, para a época.

Mas a realidade vai mostrar que você ainda sabe muito pouco. Se você não consegue ler uma DRE (Demonstração de Resultados do Exercício), nem analisar um balanço, você pode estar em apuros.

Mas não para por aí. Provavelmente, você está se aventurando no mundo dos negócios sem uma compreensão de como lidar com dinheiro ou como pagar os impostos trabalhistas. Invista nesse conhecimento também.

A verdade é que uma ideia fantástica, uma execução caprichada e o sucesso do seu produto não são suficientes. Você quer uma empresa saudável, com bons lucros e receita sempre em alta.

5. Ser multitarefa é importante, mas ter foco é o segredo

Na faculdade, você é obrigado a equilibrar seu rendimento em diversas matérias diferentes durante o semestre para ter um bom índice de aproveitamento. Uma vez que você vira empresário em tempo integral, vai ter também que enfrentar uma infinidade de questões simultaneamente e usar muitos chapéus – comercial, financeiro, RH, marketing além de ser base e gerir seus colaboradores e lidar com questões e demandas diárias, que irão requerer esforços e energia.

No começo a maioria deles caberá a você. Mas em vez de dividir o seu tempo de forma igual entre eles, você vai precisar priorizar. Mantenha-se sempre focado em um objetivo maior. Qual é esse objetivo? Bem, essa é a pergunta do milhão.

6. Disposição para o trabalho

Na faculdade, depois de uma semana de estudos provavelmente você tirava o fim de semana para passear com os amigos, fazer algo que você gosta ou descansar, você qual empreendedor, em alguns casos será necessário usar parte do seu fim de semana para se dedicar ao trabalho e resolver algumas questões.

Verá que será necessário assumir responsabilidades, cumprir com disciplina sua programação e ter compromisso para então ter sucesso, afinal ele será fruto dos seus esforços.

7. Abra seu próprio caminho

Na sala de aula você precisa lidar com seus colegas de classe, no mercado e no mundo dos negócios você precisará lidar e competir com seus concorrentes.

Se um negócio é feito com excelência a chance de sucesso é maior, já o contrário leva a dívidas, problemas e falências. Por isso, você precisará ser o melhor para que o caminho a ser percorrido esteja aberto a você e possa se destacar dos concorrentes.

8. Ninguém se preocupa com as notas

notas

Na faculdade existe uma grande preocupação com as notas, já no âmbito empresarial os números que você deverá estar atento refere-se a posição frente aos concorrentes e no mercado em geral.

9. Tamanho não é documento

Ainda grandes corporações estão sujeitas a erros, não existe negócio imune a eles. As empresas presentes em várias localidades e países precisam de estratégias para se manterem no topo e competitivas, não existe poder sem esforço.

Por isso, é importante ter capacidade de ir além dos desafios encontrados no ambiente acadêmico. É preciso estar preparado para sobressair as dificuldades criando um ambiente de comunicação e colaboração, gerido de forma eficaz.

10. Negócios são Pessoas

Em verdade, é importante aderir aos avanços tecnológicos e inseri-los no seu negócio, porém, um erro que deve ser evitado é mecanizar demais os processos, principalmente a comunicação. Negócios lidam e são pessoas, é preciso passar aos consumidores o aspecto humano ao lidar com elas.


Agora eu quero saber: quais as outras lições que o empreendedorismo vem ensinando e que você não teve na sala de aula? O espaço de comentários está aberto, é só participar.

Deixe seu comentário: