Empreendedorismo, Gestão, Marketing

Rebranding: o que é e como funciona

O rebranding é uma das principais estratégias utilizadas pelas empresas para um reposicionamento no mercado. Descubra tudo sobre rebranding neste post!

· 4 min leitura >
Rebranding

O rebranding é uma das principais estratégias utilizadas pelas empresas para um reposicionamento no mercado. No entanto, esse não é um processo simples, que pode acontecer da noite para o dia.

Neste artigo você vai descobrir o que é essa estratégia e como ela deve ser feita. Dá uma olhada!

O que é rebranding?

Sempre que pensamos em uma empresa uma percepção nos vem à mente, seja positiva ou negativa. Essa percepção é formada por diversos elementos de marketing, que englobam:

  • Identidade visual;
  • Qualidade do produto ou serviço;
  • Maneira de se comunicar e interagir com o público;
  • O posicionamento em questões políticas, sociais e ambientais.

Isso tudo está relacionado às estratégias de formulação e gerenciamento de uma marca, o famoso branding.

No entanto, quando a empresa decide que precisa reformular a sua identidade e definir um novo posicionamento de mercado, o negócio está adotando a estratégia de rebranding.

Esse conceito foi criado por Philip Kotler, um dos maiores nomes quando falamos em marketing e criador de diversos termos e estratégias que conhecemos hoje. 

A ideia do rebranding surgiu a partir da percepção de que, para se conectar verdadeiramente com as dores e necessidades do seu consumidor, as marcas precisavam assumir uma nova característica em sua comunicação: a humanização.

A partir disso, as empresas passaram a redefinir os seus canais, linguagens e mensagens de acordo com aquilo que o cliente toma como valores pessoais e sociais, dando uma “cara” ao negócio e investindo na geração de relacionamentos mais próximos e pessoais com o público.

Por que as empresas adotam o rebranding?

Com as várias possibilidades de acesso à informação, diariamente somos bombardeados de dados, casos, notícias e percepções sobre os mais diversos pontos, que variam de questões políticas, ambientais e sociais.

E até poucos anos atrás, as empresas eram orientadas a não se posicionarem sobre qualquer um desses assuntos, pois isso poderia interferir “negativamente” na imagem da marca e restringir o acesso a novos mercados.

Mas os tempos mudaram, o comportamento do consumidor tomou um novo direcionamento, e cada vez mais as pessoas estão preocupadas com o impacto gerado pelas suas escolhas de consumo.

Na pesquisa Global Consume Pulse, realizada pela Accenture Strategy, 83% dos brasileiros entrevistados afirmaram que preferem consumir produtos e serviços de empresas que se posicionam e defendem seus propósitos e valores.

E o que isso quer dizer?

A neutralidade já não é mais uma opção estratégica para nenhum negócio. As pessoas buscam empresas que comunicam o que acreditam e defendem os seus ideais frente a diversas situações que estejam ocorrendo ao redor do mundo, e aquela famosa frase do “não temos nada a declarar” já não é a melhor escolha. 

O cliente está em busca de identificação, identidade e reconhecimento, e é por isso que o rebranding vem sendo tão usado.

Em quais casos ele é utilizado?

Existem diversas situações em que o rebranding pode (e precisa) ser utilizado:

  • Falta de engajamento nas redes sociais;
  • Envolvimentos em escândalos e situações que venham a denegrir a imagem da empresa;
  • Quando a identidade da marca está ultrapassada;
  • Mudanças na gestão e fusão de empresas;
  • Solicitação do próprio público;
  • Adequação a cultura organizacional;
  • Necessidade de expansão e conquistas de um novo público consumidor.

E para que a estratégia de rebranding traga os resultados esperados, é necessário que um planejamento bem estruturado seja realizado para que alguns cuidados sejam tomados.

Como o rebranding é feito?

Assim como qualquer mudança, o rebranding não pode ser feito de uma hora para a outra, sendo um projeto que deve ser muito bem planejado, passando por algumas fases: 

  • Identificação da necessidade;
  • Planejamento da mudança;
  • Alteração da identidade;
  • Comunicação ao público;
  • Monitoramento de resultados.

Para ficar mais claro, vamos utilizar um exemplo prático.

Exemplo de reformulação de marca

A Gabi possui uma agência de marketing digital há mais de 4 anos, e negócio vem ganhando cada vez mais reconhecimento, atendendo clientes do agronegócio, comércio e saúde. 

Assim, toda a marca da agência foi desenvolvida com o objetivo de atingir esse público.

Mas a Gabi percebeu que o mercado de construções de alto padrão é um dos que mais crescem, recebendo algumas solicitações de orçamento para a prestação de serviços.

Mesmo enviando diversas propostas que apresentavam as dores do mercado, as soluções mais adequadas e um preço competitivo, as respostas sempre foram negativas e as negociações nunca eram fechadas.

Quando solicitou um feedback, a resposta foi: “A sua proposta foi uma das melhores. Mas acreditamos que, pelo visual da agência, vocês não conseguiriam atender a nossa necessidade.” 

Assim, a Gabi percebeu que a imagem comunicada pela agência não se relacionava com o novo público a ser atingido. Ela viu que existia a necessidade de mudar.

Após isso, a Gabi mobilizou a equipe para analisar as possibilidades de mudança:

  • Estudaram o mercado;
  • Avaliaram o potencial de crescimento;
  • Mensuraram o quanto poderia ganhar ou perder com um rebranding;
  • Traçaram o melhor caminho a ser seguido.

Através desses pontos, foi planejado como e de que forma a reformulação iria acontecer.

Com o planejamento preparado, o processo de mudança foi iniciado, alterando elementos como a forma de comunicação, tom de voz da marca e persona. Assim, foi construída e alterada a nova identidade da empresa.

Assim, foi iniciado o processo de comunicação da mudança, através de compartilhamentos em redes sociais e promoção da nova identidade, mensurando os resultados atingidos por meio de indicadores de acompanhamento.

Esse exemplo nos mostra que cada fase está interligada com um determinado objetivo, e que caso uma delas seja ignorada, o projeto não irá atingir os resultados esperados.

O rebranding do Facebook

Durante o ano de 2021, o Facebook sofreu diversas denúncias que comprometem a segurança e integridade da organização, com documentos vazados por um ex-funcionário.

A partir das denúncias, a empresa (que engloba aplicativos como o Facebook, WhatsApp e Instagram) passou a ser percebida com um olhar negativo pelos consumidores, além de sofrer os impactos econômicos causados pelas acusações.

Assim, a corporação adotou uma nova identidade e o nome “Meta”, com o objetivo de refletir a nova abordagem da empresa ao mercado e suas futuras estratégias.

E o que esse exemplo nos diz?

As empresas não devem esquecer que os seus resultados são gerados por pessoas, que possuem valores, princípios e objetivos de consumo.

E quando o público não está satisfeito, ou quando as atitudes e decisões internas não condizem com a mensagem e identidade divulgada, chega a hora de mudar.

Através dessa estratégia, você poderá mudar o rumo da sua empresa e definir diferentes caminhos para explorar um novo posicionamento da marca.

Quer saber mais sobre os principais assuntos de marketing digital? Dá uma olhada nos conteúdos do blog disponíveis aqui.

Deixe seu comentário: