Gestão

Como construir um código de cultura para a sua agência?

Descubra o que não pode faltar em um código de cultura e o passo a passo para construir um modelo para a...

· 5 min leitura >
pessoas construindo o código de cultura

O código de cultura é um dos elementos que permitem o alinhamento entre os objetivos estratégicos do negócio com as práticas, rotinas e comportamentos dos integrantes da empresa. Assim, é uma ferramenta essencial para as agências que buscam iniciar a implantação de práticas de gestão de pessoas e desenvolver uma cultura forte.

Mas para isso, é preciso saber como ele deve ser utilizado e quais os principais aspectos desse documento.

Aqui eu vou te apresentar a resposta para esses e outros pontos, mostrando os benefícios em usar o código de cultura, como construir um código para a sua empresa e quando ele deve mudar.

Vem comigo!

Para que serve o código de cultura?

O código de cultura, ou culture code, é um documento que reúne os princípios norteadores de comportamento para os colaboradores, apresentando como a empresa funciona, o que valoriza e em que acredita.

Assim, além de servir como um orientador para as pessoas que já fazem parte da empresa, ele também atua no processo de atração de talentos para o time.

Isso porque quando os candidatos percebem que a empresa e seus colaboradores trabalham com um comportamento alinhado e harmonioso, compartilhando os mesmos valores, as pessoas percebem no negócio um ambiente em que podem pertencer e crescer.

O que não pode faltar em um código de cultura?

O código de cultura, como o nome já define, reflete a cultura de uma empresa. Seus costumes, personalidade, preferências e padrões de comportamento e conduta.

Por isso, não adianta querer copiar o código de uma empresa que você achou muito legal e implantar na sua, acreditando que tudo vai funcionar do mesmo jeito e com os mesmos resultados.

Da mesma forma, não existe um padrão para criar o código de cultura. Tudo vai depender dos seus objetivos e necessidades em desenvolver o documento.

Aqui eu vou te apresentar alguns dos pontos mais comuns. Eles vão servir como uma base para desenvolver o da sua empresa.

História da empresa

Se o código de cultura reflete a identidade do negócio, o primeiro passo é apresentar ao seu time quem é a sua empresa, de onde ela veio e porquê surgiu.

Além de ser uma forma de envolver as pessoas e aumentar o engajamento, isso também facilita que antigos e novos colaboradores possam compreender com mais facilidade os movimentos estratégicos e as mudanças que o negócio sofreu ao longo dos anos.

Por isso, o ideal é que, logo no início do código de cultura, você apresente os principais marcos históricos e pessoas que participaram da construção do negócio.

Identidade organizacional

Após apresentar de onde a empresa veio, chega o momento de mostrar para a equipe quem ela é ou está buscando se tornar. E isso é possível através da elaboração e apresentação de três elementos essenciais:

  • Missão;
  • Visão;
  • Valores.

Esses elementos são conhecidos como as declarações institucionais do negócio, e eles representam a base principal para os objetivos da empresa.

Alguns empreendedores podem até pensar que a definição das declarações institucionais é um processo ultrapassado. Mas quando você não realiza a construção desses elementos e, principalmente, não compartilha com a sua equipe, os seus colaboradores:

  • Não sabem qual o propósito da agência (missão);
  • Onde ela quer chegar (visão);
  • Em quais princípios e direcionamentos devem se apoiar até alcançar o objetivo (valores).

Além disso, um erro bem comum é inserir esses elementos no código de cultura, mas não explicar exatamente o que cada um significa. E eu vou te mostrar um exemplo.

Imagine que a sua empresa tem como valor a “responsabilidade”. Quando você não detalha o que esse ponto significa, a interpretação para a sua equipe fica ampla. Afinal:

  • Responsabilidade em qual sentido?
  • Sobre o quê?
  • Em quais momentos?
  • Com quem?

Se você quer elaborar um código de cultura que guie o seu time, você deve descrever exatamente o que a sua empresa precisa, sem poupar nas palavras.

Defina o que a sua agência busca e quais comportamentos devem ser praticados por cada colaborador para atingir os objetivos do negócio.

Relacionamentos

Nenhuma empresa sobrevive sozinha no mercado. Para crescer, é preciso contar com fornecedores, clientes, colaboradores, parceiros estratégicos, governo e até concorrentes.

E assim como você definiu para a sua equipe qual a identidade do negócio, também é preciso descrever o que se espera das condutas dos colaboradores com os relacionamentos da empresa.

  • Quais condutas devem ser praticadas?
  • O que não é estimulado pela empresa?
  • Quais comportamentos evitar e denunciar?

Um exemplo bem comum é explicar no código de cultura a forma esperada que os colaboradores devem seguir nos relacionamentos com clientes.

Em uma agência, por exemplo, você pode definir quais comportamentos as pessoas devem nutrir com clientes, como também quais comportamentos devem ser desestimulados e denunciados às lideranças para que providências sejam tomadas.

5 passos para construir um código de cultura

Agora você vai aprender por onde começar a estruturar o código de cultura da sua agência!

1.    Defina quem vai participar da construção

O código de cultura não se faz sozinho. Afinal, ele vai ser um documento feito para a equipe e compartilhado com ela. Por isso, antes de iniciar a sua construção, você deve selecionar quem vai participar da elaboração do código.

Para essa escolha, você deve pensar em quem são as pessoas mais influentes e que mais conhecem a história da sua empresa. Além disso, seja sucinto na sua seleção e busque apenas aqueles que podem contribuir verdadeiramente com o processo.

2.    Reúna as informações necessárias

Montando a sua equipe, chegou a hora de recolher as informações necessárias.

Nessa etapa você pode buscar reunir os pontos citados no tópico anterior, como também buscar outras referências de códigos de cultura para agências. Isso vai facilitar a percepção do que pode ou não agregar na construção do documento.

3.    Inicie a construção do texto

Com todas as informações reunidas, chegou a hora de montar o quebra-cabeça!

Um dos pontos que a sua equipe deve ter atenção no momento de iniciar a construção do texto é a definição do tipo de linguagem adequada para os seus colaboradores. E isso vai estar relacionado tanto ao que a sua empresa deseja construir quanto à linguagem que já é trabalhada.

Na HeroSpark, por exemplo, nós buscamos definir uma linguagem mais informal e menos rebuscada, pois esse é o modelo alinhado com o nosso perfil de cultura.

4.    Valide com as lideranças

Finalizada a construção do conteúdo, o próximo passo é realizar a validação com as lideranças.

Eles serão os responsáveis por definir se o código de cultura está de acordo com a realidade da empresa e alinhado com seus colaboradores. Assim, é preciso contar com a aprovação para que o documento seja finalizado e repassado para a equipe.

5.    Apresente ao time

Por fim, é a hora de apresentar o código para quem mais interessa: os colaboradores.

Neste momento, você deve manter um espaço aberto para dúvidas e contribuições do time. Afinal, o objetivo principal do documento é servir como um guia para a sua equipe, e ela deve concordar com o que foi descrito no código.

Quando a cultura muda, o código muda

As culturas das empresas mudam ao longo do tempo. Afinal, a cultura vem do comportamento do time, e pessoas estão em constante movimento nos negócios.

Por isso, quando a cultura da sua empresa mudar, o seu código de cultura deve acompanhar essa evolução e estar adequado ao novo cenário e necessidades da equipe. Este não é um documento estático, e ele deve acompanhar e ser atualizado a cada novo ciclo.

A construção de um código de cultura é um dos pontos principais para as agências que buscam a profissionalização da gestão e novas formas de conduzir os colaboradores para o alcance de resultados.

E se você quer saber mais sobre temas relacionados a gestão de agências digitais, dá uma olhada nesses outros artigos:

Deixe seu comentário: