Gestão

Capital intelectual em agências: como trabalhar

O capital intelectual é um dos ativos mais importantes para qualquer agência, e aqui eu vou te explicar o que ele é...

Escrito por Rafael Carvalho · 4 min leitura >
homem pesquisando sobre capital intelectual

Vamos direto ao ponto: quando foi a última vez que você se preocupou com o capital intelectual da sua agência? Ele é um dos pontos mais importantes para o sucesso de todas as empresas, mas nem sempre os empreendedores sabem onde e como investir nesse ativo.

Assim como todos os elementos capazes de gerar faturamento e resultados para a agência, o capital intelectual precisa ser acompanhado, estudado e gerenciado. Só assim a sua empresa vai conseguir desenvolver o potencial de crescimento.

Mas você sabe o que é o capital intelectual e como ele pode ser trabalhado?

Se a resposta foi “não”, fica tranquilo. Eu vou te explicar esses pontos e esclarecer algumas dúvidas comuns que podem surgir sobre o tema.

Aproveita o conteúdo e boa leitura!

O que é o capital intelectual?

Toda agência é movida pelo seu conhecimento. Afinal, no ramo de serviços, o cliente vem até você quando percebe que seu negócio pode atender a uma necessidade que ele não tem as habilidades ideais para isso.

E essa lógica é aplicada não só em agências, mas também nos mais diversos tipos de empresas digitais, como consultorias online, cursos, mentorias, etc.

E para esse conhecimento, ou patrimônio, nós damos o nome de “capital intelectual”. Isso porque ele é classificado como um ativo intangível para o negócio, pois é capaz de gerar valor para a empresa a partir dos membros do time e a sua atuação na rotina da empresa.

É bem importante que você entenda que o capital intelectual não está concentrado apenas nas habilidades de cada pessoa da sua equipe, mas na junção desse conhecimento e outros elementos que, quando bem trabalhados, geram resultados para a agência.

Pareceu meio confuso agora? Deixa que eu simplifico.

Imagina que o capital intelectual da sua agência é feito por uma receita que leva 3 importantes ingredientes:

  • Pessoas: são as experiências, soft skills e hard skills, talentos e todo o tipo de bagagem de um colaborador;
  • Ferramentas: isso vai desde o uso de ferramentas tecnológicas que otimizam o trabalho e aumentam os resultados até a própria gestão do conhecimento da empresa;
  • Conexões: todo o tipo de relação, seja interna ou externa, que gera mais credibilidade e melhores conexões da empresa com o seu mercado.

Cada um desses ingredientes precisa ser dosado e trabalhado da forma correta. Na falta de um, a receita não funciona e o resultado final — que é a geração de valor para a empresa — não surge.

O que a empresa ganha com esse investimento?

As agências que sabem fazer um pouco de tudo, mas não são especialistas em nada, não ganham o mercado.

Calma que eu vou deixar mais claro.

Quando a sua empresa consegue fazer um pedacinho de cada coisa, mas não se desenvolve para criar um posicionamento como especialista em algo, as chances de evoluir são bem baixas. Isso porque é como se você estivesse sempre no mesmo nível de diversos jogos diferentes.

Por mais que você tente, não passa do nível 1.

Mas quando é feito o investimento no capital intelectual, esse cenário muda, e os benefícios são diversos. Como:

  • Equipe mais engajada nos projetos;
  • Processos otimizados e com menores gargalos;
  • Diferencial competitivo para o negócio;
  • Incentivo e maior facilidade para a geração da inovação;
  • Percepção de uma atuação mais estratégica para os clientes.

Como desenvolver o capital intelectual da agência?

Mapeie as habilidades

O primeiro ponto é saber o que a sua empresa já tem antes de planejar os próximos passos.

Aqui você vai precisar identificar quais as habilidades do seu time e o nível em que elas estão. Como falei no tópico anterior, saber de tudo um pouco é importante, mas o crescimento vem com a especialidade em pontos e estratégias específicas.

Procure identificar um posicionamento para o seu negócio e passe a responder às perguntas que vão te levar ao próximo nível:

  • No que queremos ser especialistas?
  • Qual o nosso conhecimento sobre esta área?
  • O que precisamos desenvolver?
  • O que será preciso para isso?

Desenvolva bancos de talentos

Outro ponto, que está ligado não somente ao capital intelectual com o foco em pessoas, mas também com o foco em conexões, é a busca pelo desenvolvimento de um banco de talentos.

Quando a sua empresa não puder atender a uma determinada demanda, é essencial que você já tenha na “manga” um profissional capaz de reter essa demanda e entregar com a qualidade ideal ao cliente.

Por isso, além de ser uma forma de criar relacionamentos fora da agência, o uso de um banco de talentos permite que você conheça diversos profissionais com bagagens diferentes, capazes de oferecer novas perspectivas sobre os serviços.

Analise as tecnologias utilizadas

Tenta pensar da seguinte forma: o que vocês fazem hoje consegue gerar valor para os processos e clientes?

Quando falo em tecnologia, não é somente um sistema ou ferramenta específica para melhorar a rotina da equipe, mas todos os processos e documentos para reter informações e permitir análises mais eficientes.

Assim, o investimento na gestão do conhecimento é um dos pontos iniciais a serem vistos.

Capital intelectual x contratos PJ: é possível desenvolver?

Eis um ponto que pode gerar muita dúvida entre em empreendedores. Como desenvolver o capital intelectual quando a maioria das contratações são PJ?

Como eu citei no início do conteúdo, é preciso lembrar que o capital intelectual de uma agência não se relaciona apenas com o investimento em treinamentos para o time. Ele está ligado a pontos como as tecnologias que a empresa utiliza e as conexões que fazem a marca gerar maior credibilidade.

Assim, você pode tanto oferecer meios para que seus colaboradores PJ possam desenvolver e melhorar suas habilidades, entregando melhores resultados para seus clientes, quanto investir em recursos que facilitem a geração de conhecimento e informações para a agência.

O fato é que: de uma forma ou de outra, investir no capital intelectual é investir na sobrevivência e crescimento do negócio. Afinal, não são as agências estagnadas que vencem a competitividade do mercado.

Agora que você entendeu o que é e a importância do investimento no capital intelectual é tão importante, não pare por aqui!

Acesse esses conteúdos e fique por dentro de mais temas sobre gestão de negócios digitais:

Escrito por Rafael Carvalho
Rafael Carvalho atua no mercado de marketing digital, educação online e infoprodutos desde 2011. Autor best-seller do livro Paixão S.A., ele também foi vencedor do prêmio Empreendedor de Sucesso, da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. → Siga-me no Instagram @eu.rafaelcarvalho. Profile

Deixe seu comentário:

plugins premium WordPress