Mapa estratégico: como fazer um para a sua agência?

  • Autor do post:
  • Última modificação do post:19 de agosto de 2022
  • Comentários do post:0 Comentário
  • Tempo de leitura:12 minutos de leitura

Desenvolver o planejamento estratégico de uma empresa é um dos principais pontos a serem feitos por seus gestores. No entanto, não é todo mundo que consegue compreender com facilidade o que é e como ele vai funcionar na prática, e é aqui que entra o mapa estratégico.

Apesar de ser um ponto pouco trabalhado pelas agências, o mapa estratégico pode ser o grande diferencial que vai aumentar os níveis de engajamento da sua equipe com as ações e planos da sua empresa.

Mas afinal, o que é esse mapa? Como ele funciona na prática? E como elaborar um mapa estratégico para a sua agência?

Aqui eu vou te explicar tudo isso, apresentar os benefícios de utilizar o mapa e alguns exemplos. Vem comigo e boa leitura!

O que é um mapa estratégico?

Nenhuma empresa cresce sem estratégia, isso é um fato. E é por isso que é tão importante trabalhar a elaboração de planos de curto, médio e longo prazo para atingir mais e melhores resultados.

Então o empreendedor se dedica a planejar estes pontos e traçar as melhores rotas para isso, contrata uma equipe de consultoria, elabora um planejamento estratégico com todos os detalhes para que os objetivos sejam alcançados.

No entanto, existe um ponto fundamental que muitos empreendedores e gestores acabam esquecendo: quem executa a estratégia é a equipe, e se ela não entende os “porquês” do que está fazendo, a probabilidade de alcançar o resultado é bastante baixa.

E o que alguns donos de negócios também têm dificuldade de entender, é que nem todo colaborador vai ter facilidade ou mesmo interesse em procurar saber como a estratégia de uma empresa funciona e o que significa cada elemento ou cada plano.

Mas então, o que pode ser feito para tornar essa explicação mais clara e simples? É neste momento que o mapa estratégico chega.

O mapa estratégico foi desenvolvido dentro do método Balanced Scorecard (BSC). Assim, ele veio como uma forma de facilitar a visualização de como cada objetivo estratégico estava conectado, propondo um modelo visual mais claro e simples.

Nessa metodologia, metas e indicadores estão agrupados em 4 grandes perspectivas:

  • Financeira;
  • Processos;
  • Clientes;
  • Aprendizado e crescimento.

Assim, dentro de cada perspectiva, existem indicadores e metas, e o mapa reflete como cada um está conectado numa estratégia bem alinhada.

Veja um exemplo:

Resumindo, o mapa estratégico pode ser explicado usando essa frase: se a estratégia está difícil, é melhor desenhar!

Quais os benefícios em usar o mapa estratégico?

E agora você pode estar pensando que o mapa estratégico é só uma forma de facilitar as coisas para o time, não é mesmo? Mas eu digo, os benefícios em usar essa estratégia vão muito além do que ser um “tradutor” para o time.

Quando você desenvolve um mapa estratégico, é possível:

  • Ter uma visão mais clara de onde e como você deve chegar aos objetivos da empresa;
  • Trazer mais objetividade para o futuro do negócio;
  • Decifrar mais facilmente onde e como começar a trabalhar a estratégia;
  • Aumentar a produtividade e alinhamento das ações para uma mesma direção;
  • Entender o que é mais ou menos importante dentro da estratégia;
  • Identificar as metas que estão ou não conectadas com os grandes objetivos;
  • Desenvolver uma comunicação interna com maior eficiência.

Mas para alcançar todos esses objetivos, é preciso saber como desenvolver um mapa estratégico para a sua agência. E eu vou te mostrar isso no próximo tópico.

Como fazer um mapa estratégico?

Se você chegou até aqui, é bem provável que já tenha se perguntado o motivo deste modelo se chamar “mapa”. E eu vou te explicar de um jeito bem simples.

Tente lembrar dos mapas de tesouro utilizados pelos piratas. Antes de chegar ao baú com as riquezas, eles sempre passavam por alguns caminhos e desafios até que a recompensa fosse alcançada, correto?

O mapa estratégico funciona da mesma forma. Cada umas das metas que estão distribuídas nas perspectivas precisam ser feitas para que o objetivo final — ou o baú do tesouro — seja alcançado.

Assim, para desenvolver um mapa estratégico, é preciso seguir alguns passos.

Defina o objetivo da estratégia

O primeiro ponto é definir o que é o seu “baú do tesouro”. Dessa forma, você precisa dizer de forma clara qual o grande objetivo a ser alcançado.

Normalmente, este objetivo já está definido na visão da empresa, especificando pontos como “ser a maior empresa X …” ou “ser reconhecido como Y pelos clientes”. Assim, o ideal é que você consiga quantificar essa visão ou o que se pretende alcançar.

Determine as metas de acordo com as perspectivas

Depois de definir o que você quer atingir, chegou o momento de traçar quais passos devem ser seguidos. E é aqui que você vai detalhar quais serão as metas para cada uma das perspectivas no mapa.

Dica: sempre comece pelos objetivos financeiros, eles vão guiar toda a estratégia e o que as pessoas e setores deverão realizar.

Para isso, algumas perguntas podem ser feitas. Veja a seguir.

Financeiro

  • Quais objetivos financeiros eu quero alcançar?
  • Em quanto a minha receita deve crescer?
  • Quanto queremos faturar?
  • E qual deverá ser o nosso lucro?
  • Queremos reduzir despesas? Em quanto?

Clientes

  • Qual a nossa média de clientes?
  • Quantos clientes devemos conseguir para atingir os objetivos financeiros?
  • Qual deverá ser o nosso ticket médio?
  • Em quanto está o nosso CAC? Queremos reduzir? Qual a porcentagem?
  • Desejamos aumentar a satisfação dos nossos clientes? Em quanto? Qual deve ser o nosso NPS?

Processos internos

  • Para atingir os objetivos da perspectiva de clientes, como e onde podemos melhorar nossos processos?
  • Quais os nossos gargalos? Como podemos eliminá-los?
  • Temos altas taxas de erros ou retrabalho? Em quanto devemos reduzir?

Aprendizado e crescimento

  • Para desenvolver melhores processos internos, onde e como devemos investir em pessoas?
  • Queremos/devemos aumentar o quadro de colaboradores?
  • Devemos aumentar o número de capacitações? Em quanto?
  • Qual o nível desejado de satisfação com a empresa?

Faça as conexões entre as metas

Percebeu que não existe nada “solto” no mapa estratégico? É porque o foco está em alcançar o objetivo maior, o baú do tesouro. E se uma meta não contribui com esse caminho, ela não é tão relevante.

Agora chegou o momento de fazer as conexões entre cada meta, e para te explicar como isso pode ser feito, eu vou te mostrar como ler um mapa estratégico. Veja o exemplo:

Você pode ler o mapa de duas formas:

  1. Da base (aprendizado e crescimento) para o alto (financeiro);
  2. Do alto (financeiro) para a base (aprendizado e crescimento);

Mas relaxa, eu vou te explicar como fazer cada leitura!

Base para o alto

  • Quando a empresa desenvolve um programa de treinamentos e retém talentos, é possível tornar as pessoas mais capazes para melhorar os processos internos;
  • Ao tornar os processos internos mais eficazes, eficientes e com melhor custo-benefício, os clientes ficam mais satisfeitos;
  • Fazendo com que os clientes fiquem mais satisfeitos, é provável que surjam indicações, gerando novos clientes;
  • Assim, quando conquistamos novos clientes e fidelizamos os que já temos, aumentamos a receita e a rentabilidade.

Alto para a base

  • Na estratégia dessa empresa, foram definidas as metas financeiras de aumento de receita e rentabilidade;
  • Para alcançar esses pontos, será preciso trazer novos clientes, reter os que já estão na empresa e aumentar a sua satisfação;
  • Assim, para trazer novos clientes e fazer a fidelização, é preciso aumentar a eficácia da gestão e a eficiência no atendimento, bem como potencializar o custo-benefício do produto ou serviço da empresa;
  • Mas para isso, os colaboradores precisam ser treinados, estar satisfeitos e a empresa precisa oferecer oportunidades de desenvolvimento.

Conseguiu perceber que não existem “pontas soltas”? No mapa estratégico, tudo está conectado!

Como você viu, o mapa estratégico é uma forma de facilitar o alcance das estratégias e levar o seu time junto com a gestão para mais e melhores resultados.

E se você quiser saber mais sobre esse tema e como ele pode ser trabalhado, eu vou te apresentar alguns artigos para cada perspectiva do mapa:

Rafael Carvalho

Rafael Carvalho é empreendedor digital há mais de 20 anos e desenvolveu dezenas de negócios na internet. É criador de diversos treinamentos online, com destaque para o método Lançamento Enxuto e a Mentoria Imparáveis, que são considerados os melhores treinamentos para quem deseja possuir um negócio lucrativo, honesto e saudável na internet.

Deixe seu comentário: