Economia da paixão

Economia da paixão: o que você deve saber antes de ingressar no mercado

Quer saber como se preparar para ingressar na economia da paixão? Eu te conto tudo através deste artigo. Confira!

· 4 min leitura >
economia da paixão

A economia da paixão é um dos mercados mais cobiçados atualmente. Afinal, cada vez mais pessoas sentem-se frustradas em suas carreiras e desejam encontrar uma solução que ofereça muito mais prazer e satisfação.

Porém, o que muitos não sabem é que viver da paixão também exige diversas responsabilidades e compromissos, como em todas as áreas profissionais. Por isso, é comum que as pessoas acabem se “iludindo” quando enfrentam a realidade deste mercado.

Este artigo é uma forma de te ajudar a entender como a economia da paixão funciona e evitar que você cometa alguns erros comuns aos empreendedores de primeira viagem. 

Aqui, você vai entender o que leva as pessoas a escolherem a economia da paixão e 4 verdades que, se você deseja ter sucesso no negócio, é preciso conhecer antes de iniciar essa nova jornada.

Continue comigo!

Por que as pessoas desejam viver da economia da paixão?

Você com certeza conhece uma pessoa que está insatisfeita com o trabalho, ou você mesmo pode ser esse indivíduo.

Este é um sentimento cada vez mais comum e presente no dia a dia de profissionais que trabalham com tarefas que não oferecem um sentido claro para a sua jornada e não estão alinhadas ao seu propósito.

Por isso, um fenômeno está acontecendo: mais demissões estão ocorrendo e novas transições de carreira estão sendo feitas com o objetivo de encontrar uma atividade que proporcione um propósito claro, estando relacionadas à economia da paixão.

Dessa forma, as pessoas buscam neste mercado uma alternativa que elimine as frustrações profissionais e eleve o nível de satisfação com a própria jornada. 

Esse é um sentimento compreensível, mas que, em alguns casos, não permite perceber com clareza como este processo funciona na prática. Consequentemente, pela falta de preparo, as pessoas frustram-se novamente.

4 verdades sobre a economia da paixão

Agora que você entendeu porque as pessoas buscam a realização na economia da paixão, é preciso conhecer algumas verdades que nem sempre são comunicadas quando você decide viver fazendo aquilo que ama.

Entenda, nenhum dos pontos abaixo estão aqui para te desencorajar dos seus sonhos, amedrontar ou impor alguma dúvida sobre a sua decisão. 

Cada uma dessas verdades existe para que você não cometa os mesmos erros que centenas de pessoas realizam pela falta de conhecimento e preparo para entrar nesse mercado.

Veja abaixo algumas quais são essas verdades.

Você não precisa ser o melhor

Uma das maiores travas para a maioria das pessoas que decidem viver da sua paixão, é acreditar do próprio potencial, utilizando argumentos como:

  • Eu ainda não estou preparado;
  • Não sei o bastante;
  • As pessoas não vão confiar em mim;
  • Outras empresas oferecem um produto/serviço melhor que o meu;
  • O meu negócio não é forte o suficiente.

Cada uma dessas frases revela um medo comum ao ser humano: o fracasso.

Mas o que poucos aceitam, é que ninguém começa sendo o melhor, preparado o bastante ou sabendo tudo o que precisa para alcançar os melhores resultados.

Assim como outras competências, o sucesso é treinável, e você deve estar disposto a investir  no desenvolvimento das habilidades necessárias para alcançar os objetivos definidos para a sua empresa.

Por isso, quanto mais tempo você usa para dar desculpas e justificativas, menos você está fazendo o que realmente importa.

Seus planos vão dar errado

Você já deve ter ouvido uma frase bastante conhecida no mundo dos negócios: “nenhum plano sobrevive ao campo de batalha”.

E ela é uma das grandes verdades que ninguém está preparado para enfrentar.

Na economia da paixão, por mais que o seu negócio tenha toda uma estratégia planejada e que passou pela validação de outras pessoas, na prática sempre vão existir variáveis que irão colocar em prova os seus planos e que podem te levar ao erro.

Inclusive, quanto mais errado eles derem, melhor! 

Pode parecer loucura, mas sabe por quê isso é importante?

Pesquisas já apontaram que o nosso cérebro aprende muito mais e com maior qualidade quando cometemos um erro. Isso porque ele gera uma experiência negativa de frustração tão forte que a lembrança fica gravada na memória.

Assim, quando você se vê diante de uma situação parecida com algo que já foi enfrentado, o seu cérebro já está preparado para que o mesmo erro não seja cometido novamente.

Além disso, se você parar para pensar em quantas pessoas de sucesso acertaram de cara nas escolhas da carreira, é provável que encontre poucos exemplos, ou mesmo nenhuma referência.

Afinal, para que as conquistas fossem alcançadas, elas precisaram descobrir primeiro quais as formas e caminhos que não deveria ser seguidos para que o melhor trajeto fosse encontrado.

Por isso, valorize cada um dos seus erros, mas esteja preparado para que eles não ocorram novamente!

Comece com um planejamento financeiro 

Não adianta fugir. 

Apesar da economia da paixão oferecer inúmeras liberdades para alinhar a sua vida pessoal e profissional, para desfrutar dessas vantagens é preciso muito planejamento.

Assim, o planejamento financeiro, seja pessoal ou da empresa, é um dos pontos principais para que você possa definir o que deve e o que não deve ser feito no negócio em um determinado período.

Além disso, ele vai te oferecer mais segurança para você conseguir visualizar a sua trajetória, estabelecendo uma visão de longo prazo. Por isso, ele deve ser elaborado antes mesmo que você incie as atividades da empresa, avaliando pontos como:

Dessa forma, o caminho vai ficar muito mais claro.

Invista em parcerias

Para que um negócio funcione e prospere, além de clientes, é preciso investir em parceiras que ofereçam atrativos, vantagens e experiências que ajudem tanto você quanto a empresa a descobrir novas formas de investir na sua paixão e profissionalizar a gestão.

Além disso, este processo pode oferecer diversos benefícios, como:

  • Aumentar as chances de captar clientes;
  • Expandir as áreas de atuação da empresa;
  • Oferecer acesso a novas tecnologias e conhecimentos;
  • Conectar outras pessoas e negócios que podem agregar na sua solução.

Assim, você vai precisar saber quais os parceiros ideais para a sua empresa e como você pode realizar essas conexões.

E eu tenho um artigo completo para te orientar: Como fazer uma prospecção de parceiros para o seu negócio digital.

Viver através da economia da paixão não deve ser um processo encarado como um hobby, mas uma atividade que exige compromisso e dedicação para que os resultados sejam alcançados com qualidade e constância.

E para isso, além de entender como este mercado funciona, é preciso saber quais os primeiros passos para construir um negócio digital com uma base fortalecida. E isso eu te ensino no meu livro: Paixão S.A.: Transformando o que você ama em um negócio digital.

Deixe seu comentário: