Gestão, Motivação

Ownership: quando o time se sente dono do negócio

Muito se fala em ownership, mas pouco se explica como desenvolvê-lo. E se você quer saber como fazer isso, confira esse artigo!

· 4 min leitura >
ownership

Já imaginou se o seu time sentisse que é dono da empresa, e estivesse tão envolvido com os resultados do negócio quanto os próprios donos? Isso é possível através do ownnership.

E se você ainda não sabe o que é e quer aprender a desenvolver essa atitude na sua agência, então me acompanha que eu separei várias dicas práticas neste artigo.

Aproveite o conteúdo!

O que é ownership?

Você com certeza já deve ter ouvido falar em “sentimento de dono”. Em algumas empresas, inclusive, este é um dos critérios para a escolha de um candidato para uma determinada vaga.

E este mesmo sentimento é o ownership, que também é conhecido como atitude de dono ou sentimento de propriedade.

Ele recebe este nome porque as pessoas passam realmente a desenvolver uma mentalidade de responsabilidade pelos resultados da empresa, demonstrando altos níveis de engajamento e produtividade.

De forma mais simples, é como se os colaboradores percebessem que eles também são responsáveis pelo crescimento da empresa. Assim, cada nova conquista ou derrota é tomada como algo pessoal, fazendo com que as pessoas se envolvam cada vez mais na busca por mais e melhores resultados.

Este é um sentimento bastante comum em profissionais no início da carreira, que estão recebendo as primeiras oportunidades e responsabilidades, buscam entregar resultados de forma rápida e se envolvem com as atividades da empresa.

Mas isso não significa que esta é uma mentalidade restrita para profissionais iniciantes.

Além de ser um sentimento que pode partir de forma natural do colaborador, mesmo sem nenhum contato ou experiência com a empresa, o ownership pode e deve ser estimulado entre os colaboradores mais antigos. 

Isso porque ele apresenta benefícios que são vantajosos tanto para a pessoa quanto para a empresa, como:

  • Maior engajamento;
  • Definição de objetivos mais claros;
  • Mais integração entre as equipes de trabalho;
  • Promoção positiva da imagem da empresa no mercado;
  • Melhoria na comunicação;
  • Autonomia de atuação do time;
  • Desenvolvimento do senso de responsabilidade individual.

Assim, o ownership está mais relacionado a uma atitude emocional do que racional. Afinal, esta atitude de dono e responsabilidade está ligada ao envolvimento e identificação com diversos fatores na empresa. Exemplo:

  • Cultura organizacional;
  • História;
  • Produto ou serviço;
  • Propósito;
  • Impacto no mercado/sociedade.

Como você pode despertar o ownership na sua agência?

Primeiro de tudo, você precisa entender que o ownership não é um sentimento que pode ser forçado ou imposto para a sua equipe. Para que ele funcione e ofereça os resultados que a sua agência precisa, ele precisa ser gerado de forma natural.

Sendo bem direto: não adianta forçar a barra.

Os seus colaboradores vão desenvolver o sentimento de dono quando eles estiverem prontos, abertos e interessados por isso.

No entanto, existem algumas estratégias que podem incentivar e estimular a geração do ownership.

Mas novamente, este é um sentimento que deve ser gerado de forma espontânea, e não existe uma “receita infalível” para gerar o ownership. Quanto maior a identificação com a empresa, maiores as possibilidades de o time desenvolver a atitude de dono.

Então dá uma olhada nas 3 dicas que eu separei para te ajudar!

Contrate da forma certa

Tudo sempre começa no processo de seleção e formação do seu time. Sabe por quê?

Como eu comentei logo acima, o ownership vem muito da identificação do profissional com a empresa, e isso está totalmente ligado com o fit cultural do candidato.

Assim, quando você contrata uma pessoa focando apenas nas hard skills e não avalia o seu comportamento, objetivos de carreira e alinhamento com a cultura da sua agência, então é muito provável que esta pessoa não desenvolva uma conexão com os objetivos da empresa e, consequentemente, não tenha atitude de dono.

Aqui vale a aplicação de uma frase bastante conhecida na área de RH: quando você contrata bem, você desenvolve bem.

E se você quer saber como contratar uma equipe de alta performance, confira este meu artigo: Quer saber como contratar uma equipe de alta performance? Confira essas 5 dicas!

Crie uma política de feedback e desenvolvimento

Você também vai precisar oferecer os recursos necessários para que o seu time perceba que é valorizado e possa se desenvolver e gerar mais resultados para o negócio.

E é por isso que você deve investir em ferramentas que viabilizem essa percepção de valorização e estímulo ao crescimento das pessoas dentro da empresa.

Assim, além de oferecer benefícios como investimentos em educação, treinamentos e capacitações, também é preciso criar um ambiente e uma política de feedback na qual todos possam ser ouvidos e entender onde podem melhorar.

Afinal, como desenvolver uma atitude de dono se eles não têm acesso aos recursos e feedbacks necessários para crescer e manter o alinhamento com a identidade da empresa?

Dessa forma, o sentimento de pertencimento é estimulado entre os colaboradores, e o ownership é gerado de forma gradual.

Desenvolva uma gestão transparente

A minha última dica está relacionada a transparência na gestão. E para explicar esse ponto, eu vou usar o exemplo das empresas que realizam tomadas de decisão “às escondidas” e não deixam que os colaboradores façam parte do processo decisório.

Neste modelo de empresa é comum que a equipe saiba das mudanças por terceiros. Assim, as fofocas são estimuladas e o nível de insegurança entre colaboradores é elevado.

Por isso, se você quer que as pessoas tenham o sentimento de dono e tomem os resultados como sua responsabilidade, você deve ser transparente em sua gestão.

Conselho extra: não banalize o ownership

É muito comum que empreendedores e gestores utilizem o termo “sentimento de dono” de forma pejorativa, empregando em vários momentos e exigindo que o time apresente as características e atitudes do ownership na sua rotina de trabalho.

Inclusive, o LinkedIn está repleto de exemplos nos quais as empresas exigem sentimento de dono, utilizando frases como:

  • “Vestir a camisa”;
  •  “Sangue nos olhos”;
  •  “Vontade de fazer acontecer”.

Entenda bem, não existe nada de errado é utilizar esses termos. Porém, algumas empresas não entregam recursos necessários e nem desenvolvem um ambiente adequado para que o colaborador sinta que pertence e pode contribuir com os resultados.

Por isso, se você quer que os seus colaboradores desenvolvam sentimento de dono, não banalize essa mentalidade. Além de impactar diretamente na produtividade do seu time, isso vai gerar uma imagem negativa da sua empresa como marca empregadora.

O ownership é um dos pontos fundamentais das empresas de sucesso. Porém, ele não é o único. E se você quiser saber mais como desenvolver uma equipe que foca em mais e melhores resultados, confira estes outros artigos aqui no blog:

Deixe seu comentário: